Enquete

Qual o Canto mais bonito?
 

Quem está Online

Nós temos 225 visitantes online

Cadastre-se



Follow us on Twitter


Desenvolvido por:

Preparação do Bicudo para Torneio de Fibra PDF Imprimir E-mail

No primeiro ano de vida o mais importante para o futuro competidor é desenvolver um canto adequado aos torneios e a capacidade respiratória para suportar cantar por longos períodos. É necessário que se exercite em voadeiras com poleiros distanciados e que receba ótima alimentação. O filhote deve ser passado para uma gaiola menor após ter completado a muda para pintão ou maracajá. É normal que fique um pouco arisco com a mudança, o que será corrigido gradativamente por um manejo mais intenso. A gaiola deve ser mudada de local várias vezes. Banhos de sol, passeios com a gaiola na mão, passeios de automóvel, permanência em locais movimentados, com muitas pessoas por perto e visitas a regiões de mata, principalmente onde haja brejo, contribuem para o pássaro vá se desinibindo.

 

O bicudo deve ser acostumado à capa na gaiola. Tudo de forma gradativa para evitar o estresse. Vez ou outra deve avistar a fêmea com a qual desejamos acasalá-lo. É importante que essa fêmea não tenha contato com outros machos. Quando estiver com o canto totalmente aberto, repetindo bastante, deve ser acasalado.

 

Os passeios devem prosseguir com a presença da fêmea. Nos deslocamentos para regiões de mata, a gaiola da fêmea deve ser mantida à distância, sem contato visual. Devem permanecer por cerca de uma hora, trocando chamados que estimulam o macho a cantar cada vez mais.

 

O entrosamento entre o casal é fundamental para o sucesso do condicionamento. Nessa fase do treinamento já podemos buscar o contato com outro macho. A melhor solução é procurar parceria com outro criador que esteja preparando bicudos para fibra. No início um deve apenas ouvir o outro a uma distância mínima de 10 m. A fêmea deve ser mantida a uma distância que permita ao macho ouvir seus chamados. Essas sessões não devem exceder a 30 min. A observação e sensibilidade do criador nessa fase são fundamentais.

 

Conforme a desenvoltura apresentada pelo bicudo, o contato visual com o outro macho pode ser permitido e progressivamente a distância pode ser diminuída para até 5 m. Devemos evitar nesses treinamentos o contato de bicudos maracajás ou pintados com bicudos pretos. A distância mínima de 5m deve ser respeitada. Ainda não é chegado o momento encostar as gaiolas dos machos. Apressar essa fase poderá destruir o temperamento do nosso futuro campeão. Esses treinamentos devem prosseguir até o início da próxima muda. Quando estiver enxugando a muda para preto, o bicudo deve passar um mês no gaiolão antes de iniciar a sua preparação para a temporada de torneios. O treinamento deve ser retomado e a aproximação dos machos deve chegar até 20 cm entre as gaiolas. Tudo de forma progressiva.

 

No início, o bicudo poderá se esquecer de cantar e somente ficar procurando briga com o adversário. Na medida em que for acostumando com a proximidade dos adversários, irá cantar e repetir com desenvoltura. O tempo das sessões deve ser aumentado e os adversários de disputa, variados. Também a fêmea deve ser mantida afastada nos momentos em que o macho estiver duelando canto com os adversários. As reuniões de bicudeiros nos finais de semana são excelentes oportunidades para a complementação da preparação dos bicudos de fibra.

 

Cabe ressaltar que não basta um pássaro ter muita fibra para se destacar nas rodas. Muitos, plenos de fibra, não são bem condicionados ou não respondem bem ao condicionamento e acabam por não apresentar boa produção na roda. Não afinam de jeito nenhum, mas chegam na roda e querem brigar, ficam voando na tala da gaiola e esquecem de cantar.

 

Passarinho sem fibra é o que pia frio, o que não mantém a ordem, o que desasa e vai para o fundo da gaiola. Esses não servem para roda e muito menos para a reprodução.

 

Duelos de canto entre bicudos, com as gaiolas separadas por divisão que impeça o contato visual podem ser permitidos, porém não em demasia para não condicionar o pássaro a cantar apenas dessa forma.

 

Consideramos que a melhor performance do bicudo em torneios de fibra ocorre entre as idades de 4 e 6 anos. Ele deve ser testado aos três anos nas rodas de fibra. Também acreditamos que não deva ser levado à reprodução até que tenha atingido as suas melhores possibilidades nos torneios.

 

 

Fonte: www.cantoefibra.com.br

 

Tamanho da Fonte

Calendário de Torneios

«   Novembro 2017   »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
   

mais ...

Publicidade

Seja nosso Parceiro
Banner
Banner
10 Países + Visitantes:
Brasil flag 50%Brasil (59)
Desconhecido flag 22%Desconhecido (26)
Ucrânia flag 19%Ucrânia (23)
Portugal flag 3%Portugal (3)
Rússia flag 3%Rússia (3)
Alemanha flag <1%Alemanha (1)
Colômbia flag <1%Colômbia (1)
Estonia flag <1%Estonia (1)
Kazakhstan flag <1%Kazakhstan (1)

Visitantes desde 06/06/2011