Enquete

Qual o Canto mais bonito?
 

Quem está Online

Nós temos 160 visitantes online

Cadastre-se



Follow us on Twitter


Desenvolvido por:

Alimentação PDF Imprimir E-mail

Na ultima década a indústria de alimentos para pássaros tem passado por grandes modificações conceituais, mas mesmo assim vem enfrentando resistências na quebra de paradigmas, sendo um dos maiores desses a prática de alimentação baseada em sementes. Este tipo de alimentação, como já foi comprovado, causa uma série de distúrbios e carências. As sementes até podem ser suficientes para suportar as necessidades de manutenção de um pássaro adulto, fora do período reprodutivo e muda; mas não são capazes de satisfazer as exigências nas fases de crescimento e postura. Então não podemos esquecer que 90% das rações são compostas de SEMENTES, porém processadas de uma maneira que se eliminam as partes nocivas (químicas e físicas) e valorizam-se as partes boas. Podemos tornar os produtos industrializados mais eficientes por serem homogêneos e possuírem todas as vitaminas, minerais e os mais modernos aditivos.

Não podemos esquecer que as rações já são devidamente moídas, economizando para a ave um enorme esforço energético com a moagem das sementes. Então um exemplo claro das vantagens das rações extrusadas frente às sementes, reside no fato de que o consumo médio das primeiras é menos da metade das segundas, o que demonstra um ganho econômico substancial para o bolso do criador.

 

Artigos:

1) Flavia M. O. Borges; A. R. Machado- Tempo de mudanças - Revista Passarinheiros - 2004.

2) Carlos E. S. Goulart; Paulo A. R. Machado - Distúrbios nutricionais, nutrição e alimentação em aves silvestres - Revista Nosso Clínico - Ano 7 vol 37 2004.

3) Petra M. Burgamn, Feeding your Pet Bird. Ed. Barrons - 1993 EUA.

4) Jennifer Prince DVM, Drs. Foster & Smith, Basic Bird Nutrition - Veterinary Service Department - Wisconsin Veterinary Medical Associations.

5) Gary D. Butcher; Richard M.D. Miles - Understanding Pet Bird Nutrition - Florida University, 1996.

6) Duane E. Ullrey, Mary E. Allen and David J. Baer - Nutrition of Caged Birds - Formulated Diets Versus Seed Mixtures for Psittacines. In: Comparative Nutrition Group, Departament of Animal Science Michigan State.

7) Ginger Wolnik - Feeding Canaries a Pellet Diet - Pacific American Singer Newsletter. Vol.5, no. 3, 1998.

8) Thereza Jordan - Should you feed your quakers a pellet diet? - Jordan Enterprises, 1997.

 

 

1) Flavia M. O. Borges; Paulo A. R. Machado - Tempo de mudanças – Revista Passarinheiros – 2004.

“Na última década a indústria de alimentos para pássaros vem passando por grandes modificações conceituais, e, à semelhança da indústria de alimentos comerciais para cães e gatos, também enfrenta resistências na quebra de paradigmas. O maior deles é a prática de alimentação baseada em sementes, como tentativa de reproduzir seus hábitos na natureza. Entretanto, uma alimentação composta somente por sementes pode provocar uma série de distúrbios carênciais. Como exemplo, os níveis protéicos da maioria das sementes podem ser suficientes para suportar as necessidades de manutenção de um pássaro adulto, fora do período reprodutivo ou muda, mas não são capazes de satisfazer as exigências nas fases de crescimento, postura, etc. Além disso, as sementes geralmente estão envolvidas, direta ou indiretamente, na maioria dos problemas de saúde das aves de gaiola, já que possuem grandes quantidades de fungos, bactérias e produtos alergênicos. Paralelamente, existe alto risco de estarem contaminadas por toxinas de fungos ou agrotóxicos.”

 

2) Carlos E. S. Goulart; Paulo A. R. Machado - Distúrbios nutricionais, nutrição e alimentação em aves silvestres – Revista Nosso Clínico – Ano 7 vol 37 2004.

“Os defensores do emprego de sementes para pássaros esquecem que no mínimo 90% das rações são compostas de SEMENTES, porém processadas de tal maneira que elimina-se as partes nocivas (químicas e físicas) e valoriza-se as partes boas. Como exemplos podemos citar a proteína da soja sem saponina e antitripicina, o germe do trigo sem as arabinoxilanas de trigo integral, o sorgo sem o seu tanino, e assim por diante. Ao mesmo tempo, podemos tornar os produtos industrializados mais eficientes por serem homogêneos e possuírem todas as vitaminas, minerais e os mais modernos aditivos. Não podemos esquecer que as rações já são devidamente moídas economizando para a ave um enorme esforço energético com a moagem das sementes. Um exemplo claro das vantagens das rações extrusadas frente às sementes reside no fato de que o consumo médio das primeiras é menos da metade das segundas, o que demonstra um ganho econômico substancial para o bolso do criador.”

 

3) Petra M. Burgmann, Feeding your Pet Bird. Ed. Barrons – 1993 EUA.

“Há anos tem sido reconhecido por mantenedores e criadores de aves que as sementes não são uma fonte de nutrientes adequada. Sementes são sempre carentes em cálcio, sódio, A, D3, K, B12, C, colina e lisina. Dependendo da semente, riboflavina, niacina, fósforo, iodo, cobre, zinco manganês e selênio também podem estar deficientes, bem como os aminoácidos metionina e triptofano. Ainda assim, mesmo destacando essas deficiências, muitos livros discutem o uso de sementes simplesmente sugerindo que suas deficiências sejam suplementadas de várias formas. Se as aves comessem os suplementos, esse raciocínio poderia ser adequado, entretanto, como muitos criadores sabem, as aves irão pegar apenas as sementes mais palatáveis e familiares, ignorando outras sementes, vegetais, frutas ou proteínas animais que também possa ser colocada a disposição. Por essa razão devemos revolucionar nosso conceito em formulação de dietas e não encarar as sementes como a base de uma dieta, mas sim um suplemento alimentar.

 

4) Jennifer Prince DVM, Drs. Foster & Smith, Basic Bird Nutrition - Veterinary Service Department - Wisconsin Veterinary Medical Associations.

“Uma dieta desbalanceada pode ser a causa de muitas doenças e da morte prematura dos pássaros. Mesmo para pássaros comedores de sementes, alimentá-los apenas com elas não é apropriado. Mesmo quando diferentes tipos de sementes são fornecidas, as sementes não serão capazes de suprir todas as necessidades minerais e vitamínicas necessárias.”

 

5) Gary D. Butcher; Richard M.D. Miles - Understanding Pet Bird Nutrition -. Florida University, 1996.

“Sementes não contém nutrientes suficientes para manter um pássaro saudável ou prover nutrientes adequados para a reprodução. Sementes possuem baixas concentrações de cálcio e são também deficientes em proteínas, minerais e vitaminas. Alimentar os pássaros apenas com sementes pode causar severas deficiências nutricionais e a morte prematura dos pássaros.”

 

6) Duane E. Ullrey, Mary E. Allen and David J. Baer - Nutrition of Caged Birds - Formulated Diets Versus Seed Mixtures for Psittacines. In: Comparative Nutrition Group, Departament of Animal Science Michigan State University.

“Devido ao fato das cascas representarem de 18 a 69 % das sementes e serem removidas antes da deglutição, uma parte significativa das misturas de sementes são transformadas em lixo. Algumas ainda são muito gordurosas e promovem a obesidade. O processo de extrusão induz certas modificações químicas e físicas no alimento que são vantajosas. A alta temperatura destrói microorganismos potencialmente patógenos.”

 

7) Ginger Wolnik - Feeding Canaries a Pellet Diet - Pacific American Singer Newsletter. Vol.5, no. 3, 1998.

“Rações para cães, mesmo sendo um alimento “não natural”, é aceito pela maioria das pessoas e veterinários como a maneira correta de alimentar estes animais. Da mesma forma, extrusados para pássaros podem ser vistos como uma maneira conveniente de alimentar os pássaros. Além dos benefícios nutricionais, os grânulos fazem menos sujeira (não contém cascas), são mais acessíveis (não ficará comida escondida sob as cascas), seguras (não estragam quando são deixadas na tigela por mais tempo, como ocorre com os suplementos a base de ovo por exemplo), menos desperdício (não é necessário jogar fora porções não consumidas), menos trabalho (podem ser colocadas quantidades maiores na tigela em relação às sementes) e fáceis de serem deixadas em alimentadores ou recipientes quando for sair de férias.”

 

8) Thereza Jordan - Should you feed your quakers a pellet diet? - Jordan Enterprises, 1997.

“Veterinários há muito tempo vem alertando sobre as doenças em aviários causadas por má nutrição. Pesquisas em nutrição de aves têm feito grandes avanços e, como resultado, fabricantes de comida para pássaros tem sido capazes de formular variadas e nutritivas rações. As vantagens de um produto extrusado incluem a ausência de pó no alimento e a exclusão do risco de contaminação por bactérias. Os extrusados são resultado de extensivas pesquisas e testes e são formulados para satisfazer todos as necessidades nutricionais dos pássaros. Muitos criadores têm registrado aumento do sucesso reprodutivo após terem trocado a alimentação habitual pela ração extrusada. Uma vez que os produtos tem validade de 1 a 2 anos você obtém sempre comida fresca da embalagem. Ao contrário de muitas sementes que são estocadas em pilhas que ficam ali estragando por muitos anos.”

 

Tamanho da Fonte

Calendário de Torneios

«   Novembro 2018   »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
   1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
  

mais ...

Publicidade

Seja nosso Parceiro
Banner
Banner
10 Países + Visitantes:
Brasil flag 50%Brasil (59)
Desconhecido flag 22%Desconhecido (26)
Ucrânia flag 19%Ucrânia (23)
Portugal flag 3%Portugal (3)
Rússia flag 3%Rússia (3)
Alemanha flag <1%Alemanha (1)
Colômbia flag <1%Colômbia (1)
Estonia flag <1%Estonia (1)
Kazakhstan flag <1%Kazakhstan (1)

Visitantes desde 06/06/2011